Quais são os países no mundo para estudar história?

Como estudante de arte, a oportunidade de estudar de perto obras de arte de renome serve como um complemento importante para o aprendizado em sala de aula e a experiência em estúdio. Embora você tenha a sorte de ter uma boa seleção de arte perto da sua universidade, muitos estudantes precisarão viajar para ver pessoalmente as obras dos mestres ou para ver peças mais específicas e concentradas que se relacionam diretamente a uma determinada especialidade de arte ou meio .

Estudar no exterior apresenta a oportunidade única de levar o aprendizado para fora da sala de aula e estudar a técnica e a história em um ambiente externo. Para os estudantes de arte que desejam aprimorar suas habilidades, ver pessoalmente as obras contemporâneas e clássicas pode ajudar os alunos a desenvolver e aprimorar a técnica. Os estudantes de história da arte servem como historiador e crítico cultural, examinando a relação subjacente que existe entre diferentes culturas e essa influência na arte local. Ao examinar as camadas que as forças sociais, geográficas e políticas influenciaram em uma obra de arte, os valores e instituições dessa cultura são revelados.

Quer você esteja estudando arte ou história da arte, não há dúvida de que estudar no exterior será inestimável para a educação continuada. No entanto, quando se trata do tema da arte, nem todos os destinos de estudo no exterior são criados da mesma forma. Aqui estão as principais cidades para estudar no exterior.

#1. Paris, France

Quando se trata de estudar arte e história da arte no exterior, talvez não haja escolha mais óbvia do que Paris, cidade do amor e da luz.

Lar de mais de 100 museus de diferentes tamanhos e especialidades, Paris nunca envelhece para o historiador de arte. Estudar no exterior aqui fornecerá aos alunos o tempo necessário para passear pelas muitas exposições de renome, um feito que não é possível em experiências de viagem mais curtas.

De fato, não faltam obras dignas de estudo em Paris. O Louvre, o museu mais visitado do mundo, abriga 35.000 objetos, incluindo a Mona Lisa da era renascentista. No Musee de l’Orangerie, os nenúfares de Claude Monet se estendem pelas paredes, representando o melhor da era impressionista. Embora os mestres nunca fiquem velhos, a cena de arte contemporânea de Paris pode ser encontrada no florescente distrito de Belleville e em suas várias galerias.

# 2 Florença, Itália

Para aqueles que realmente desejam entender a história da arte em um contexto global, não há melhor escolha de destino para estudar no exterior do que Florença, local de nascimento do Renascimento Italiano. Durante este período da história, a arte prosperou e surgiram muitas novas técnicas e estilos. Percorrer os museus de Florença é voltar no tempo, pois muitas obras icônicas desta época estão bem preservadas.

Leonardo da Vinci, Michelangelo, Caravaggio e Rafael … esses nomes famosos e muito mais são de Florença e têm muitos trabalhos em exibição dentro dos limites da cidade. A galeria Uffizi possui muitas obras famosas e menos conhecidas, incluindo pinturas, esboços e esculturas. Enquanto isso, a magnífica estátua de David de Michaelangelo está em exibição na Galleria dell’Accademia. Florença também é famosa por seus afrescos, encontrados em muitas igrejas; portanto, esteja preparado para procurar.

# 3 Praga, República Tcheca

Embora grande parte da arte clássica mais conhecida do mundo esteja na Europa Ocidental, para algumas das artes contemporâneas mais emocionantes e pungentes, vá para o leste, especificamente a República Tcheca. Como um país com um passado turbulento recente do comunismo e da revolução, a arte moderna, pós-moderna e outras artes contemporâneas são estilos bastante populares neste país jovem e vibrante.

Use Praga como porta de entrada para estudar esses estilos de arte em conjunto com a história das muitas influências da União Soviética na região. O Museu Nacional de Praga coloca a história e a arte em contexto com exposições lado a lado. O Museu Kampa abriga uma coleção de obras de um casal exilado durante o reinado do comunismo, bem como a maior coleção de pinturas abstratas modernas de Frantisek Kupka.

Para deixar sua marca na cultura de Praga, pegue um pouco de tinta e confira o Lennon Wall: um centro de grafite inspirado nos Beatles que se originou como um protesto contra o governo opressivo comunista e continua a ser um símbolo de paz e amor.

#4. Beijing, China

A arte chinesa é um gênero rico e variado, que abrange séculos, desde pintura e caligrafia a cerâmica e esculturas. Além de pinturas, tecidos, porcelana e cerâmica são bastante populares, assim como imagens de paisagens, flores e pássaros.

A capital da China, Pequim também é conhecida como o coração cultural da cidade e é o lar de muitas jóias históricas, como a Cidade Proibida e o Palácio de Verão, que agora abrigam uma riqueza de tesouros da arte antiga. Estudar arte na China também significa exposição a uma maneira completamente diferente de entender a arte contemporânea. A 798 Art Zone (também chamada de Dashanzi Art District) é o local ideal para conhecer o cenário artístico atual de Pequim. Lá você pode encontrar antigos armazéns convertidos em galerias de arte contemporânea, cafés exclusivos, livrarias e festivais de arte.

#5. Edinburgh, Scotland

Se a Escócia é conhecida por uma coisa, é o cenário verde de tirar o fôlego das terras altas, deixando lendas e tradições que há muito tempo produzem e inspiram obras de arte de moradores locais e globetrotters. A Escócia é tão cênica que até inspirou um filme inteiro da Pixar – Admirável.

A história da Escócia, cheia de vikings e celtas, é tão rica quanto a paisagem, contribuindo para a história da arte que vale a pena explorar. Edimburgo é uma cidade compacta e montanhosa, com vistas deslumbrantes e corredores aconchegantes, perfeitos para muitos dias de chuva. Servindo como ponto focal da cidade, o Castelo de Edimburgo faz uma bela imagem e está repleto de relíquias históricas, enquanto a Galeria Nacional da Escócia é a maior galeria de arte, enquanto a Galeria do Pé Vermelho, o Centro de Artes do Norte de Edimburgo e a Galeria da Escócia favoritos de caminho batido.

#6. Atenas, Grécia

Se jogue através de seus limites de arte com a ajuda dos deuses. Os gregos antigos deram origem à arte clássica ocidental, criando algumas das primeiras esculturas, estátuas e cerâmicas que o mundo já viu. Para artistas e historiadores da arte, o acesso incomparável a cenários históricos, obras e histórias que a Grécia oferece, torna o estudo no exterior uma experiência para os séculos.

Atenas, a movimentada capital, é uma terra de contrastes que contribuem para um banquete visual digno de fotografias, desenhos e pinturas. A Acrópole, um antigo templo dedicado a Atenas, certamente inspirará uma sensação de admiração artística. Cenários mais modernos, como o Centro de Arte Contemporânea Ileana Tounta e a Galeria de Criadores, estão cheios de inovação, enquanto movimentos políticos durante esse período único da história também levaram a grafites de protesto únicos e interessantes nas ruas.

#7. Melbourne, Australia

Melbourne pode não ser a capital política da Austrália, mas certamente lidera o grupo quando se trata de arte. Com mais de 100 galerias na cidade, há algo para todos os amantes da arte, desde grandes museus nacionais a cooperativas independentes administradas por artistas.

A Austrália tem uma cena artística tão longa e variada quanto sua própria história. A arte aborígine australiana, em particular, é conhecida pela pintura e gravura rupestre, paisagens desérticas, tons terrosos e o uso de ferramentas, telas e tintas naturais. Museus notáveis em Melbourne incluem o Museu de Melbourne e a Galeria Nacional de Victoria. Melbourne também possui extensa arte de rua, além de uma subcultura de grafite inteira.

#8. Cape Town, South Africa

A arte da África do Sul é conhecida por cores vibrantes e laços políticos, muitas vezes lidando com assuntos de raça, desigualdade, conservação animal e outros aspectos predominantes na vida cotidiana. Para os artistas que desejam entender o papel que essa história de contenda teve no cenário artístico, não procure mais, a Cidade do Cabo. De fato, a África do Sul é um destino único de estudo de arte no exterior devido a esse ponto culminante da cultura local e do colonialismo, muitas vezes refletidos em peças.

Além da arte sul-africana e estrangeira mais recente, as exposições de museus oferecem um vislumbre das pinturas rupestres históricas de Bushman, que servem como janelas para as culturas e vidas dos primeiros habitantes da África Austral. A Galeria de Arte Nacional da África do Sul tem uma coleção diversificada de peças africanas e européias para você explorar. Muitos afirmam que o país é o centro da arte moderna em todo o continente; o recém-inaugurado Museu de Arte Contemporânea Africana brilha ao longo da orla da Cidade do Cabo. Sem mencionar, as maravilhas naturais da cidade, das montanhas às praias, também inspiram artistas.

#9. Wellington, Nova Zelândia

No que diz respeito à história do mundo, a Nova Zelândia é um país relativamente jovem e, portanto, grande parte da cena artística, além da cultura maori, é moderna. Grande parte da arte do país concentra-se nas artes plásticas e visuais, com paisagens desempenhando um papel central.

Localizada na ponta sul da Ilha Norte da Nova Zelândia, Wellington é conhecida como a capital cultural do país. O museu nacional da Nova Zelândia fornece uma visão geral da história e da arte, desde os maoris até os dias modernos. A animada rua de Cuba, muitas vezes aclamada como o distrito cultural mais peculiar do país, abriga várias galerias locais que fornecem informações sobre interpretações modernas do mundo artístico. Fora dos museus, também há muita natureza para inspirar, com montanhas gloriosas, caminhadas costeiras e os fiordes mais famosos do mundo, a apenas um passeio de ferry.

Com a arte em todo o mundo, realmente não faltam ótimas opções para aprimorar sua arte ou aprofundar uma compreensão mais profunda das histórias com estudos no exterior. Escolha o lugar que mais fala ao seu coração e prepare-se para uma aventura incrível que certamente terá um impacto profundo no seu estilo artístico. Se você estuda no exterior arte, história da arte ou escolhe um programa que combina os dois, você voltará com uma apreciação maior pela variedade e pelo impacto da arte no mundo e em suas culturas.

Compartilhe:
Clique aqui!
Precisa de ajuda?
Olá, clique aqui e fale com um agente da TourWise e assim comece a planejar seu Intercâmbio.
Powered by